PESQUISAR

Esgotado

Espera de Deus

REF.:0010080001277

Out of stock
Entrega no dia útil seguinte!

13,90 IVA inc.

Ficha Técnica

Título: Espera de Deus
Autor: Simone Weil
Ano de edição ou reimpressão: 2019
Editora: Editora Vozes
Idioma: Português do Brasil
Dimensões: 120 x 195 x 10 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 208
Peso: 195g
ISBN: 9788532660886

Sinopse

Este livro nos ensina o verdadeiro sentido da iluminação que fez com que Simone Weil passasse de um agnosticismo anticlerical a uma busca religiosa que não parou ate o dia da sua morte. Ele traz também respostas as questões que um público cada vez mais vasto, e de vários países, nunca parou de se colocar ao ler diversas publicações póstumas que se sucederam.

O título Espera de Deus designa bem a atitude espiritual fundamental de Simone Weil. Com a condição de ouvi-la, não em um sentido passivo e definitivo, mas com a ardente vigilância do servo atento a volta do mestre, como o estado provisório de uma busca que prefere a escuta da verdade em uma intima comunhão ao prazer da caça.

A experiência interior expressa-se, portanto, nestas paginas com a dupla ênfase da intensidade e do inacabado. É um diálogo consigo mesmo, com os outros, com Deus, ate os níveis mais profundos e mais emocionantes da existência, no qual o leitor se sente constantemente interpelado e para o qual ele e conduzido.

Sobre o autor

Simone Weil (1909-1943) viveu muito em pouco tempo. Nasceu em Paris, no seio de uma família judia agnóstica. Quando, com 22 anos, ensina filosofia no liceu de uma cidade mineira francesa, decide viver com os cinco francos por dia dos desempregados, entregando o seu ordenado à caixa dos mineiros.

Em Paris, onde trabalha como operária anónima, é testemunha da servidão imposta pela técnica, da coisificação do homem e da aniquilação do pensamento na produção de mercadorias.

Filósofa, mística, pacifista, anarquista, activista da resistência francesa, Weil foi uma das mentes mais brilhantes do século XX, «o único grande espírito do nosso tempo» (Camus) com «um coração capaz de bater por meio do universo inteiro» (Beauvoir).

Morreu aos 34 anos, debilitada e mal alimentada, em solidariedade com os compatriotas submetidos ao racionamento.

Back to Top