PESQUISAR

Esgotado

Tomás de Aquino. O Ente e a Essência

REF.:0010070000015

Out of stock
Entrega no dia útil seguinte!

12,00 IVA inc.

Ficha Técnica

Título: Tomás de Aquino. O Ente e a Essência
Autor: Tomás de Aquino
Ano de edição ou reimpressão: 2014
Editora: Edições Afrontamento
Idioma: Português
Dimensões: 145 x 225 x 15 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 144
Peso: 300g
ISBN: 9789723613490

Sinopse

O ente e a essência é uma das suas primeiras obras, escrito por volta de 1254-1256 quando era bacharel de Sentenças na Faculdade de Teologia da Universidade de Paris. Tomás fixa aí os traços mais importantes da sua Metafísica, que desenvolverá em tratados, questões, sumas e comentários.

O ser e os seus modos, substância e acidente, a composição de essência e existir na criatura, os universais e a individuação, a articulação da linguagem com o real, entre outros temas, são aqui explicitados a partir de uma utilização original de fontes como Aristóteles, Avicena, Averróis, a par da influência do anónimo Livro das causas, que só mais tarde o próprio Tomás de Aquino viria a descobrir ser uma obra neo-platónica.

O texto latino e a tradução são precedidos de uma introdução ao estudo da obra.

Sobre o autor

Tomás de Aquino, foi um frade católico da Ordem dos Pregadores (dominicano) italiano cujas obras tiveram enorme influência na teologia e na filosofia, principalmente na tradição conhecida como Escolástica, e que, por isso, é conhecido como “Doctor Angelicus”, “Doctor Communis” e “Doctor Universalis”. “Aquino” é uma referência ao condado de Aquino, uma região que foi propriedade de sua família até 1137.

Ele foi o mais importante proponente clássico da teologia natural e o pai do tomismo. Sua influência no pensamento ocidental é considerável e muito da filosofia moderna foi concebida como desenvolvimento ou oposição de suas ideias, particularmente na ética, lei natural, metafísica e teoria política. Ao contrário de muitas correntes da Igreja na época, Tomás abraçou as ideias de Aristóteles – a quem ele se referia como “o Filósofo” – e tentou sintetizar a filosofia aristotélica com os princípios do cristianismo. As obras mais conhecidas de Tomás são a “Suma Teológica” e a “Suma contra os Gentios”. Seus comentários sobre as Escrituras e sobre Aristóteles também são parte importante de seu corpus literário. Além disso, Tomás se distingue por seus hinos eucarísticos, que ainda hoje fazem parte da liturgia da Igreja.

Tomás é venerado como santo pela Igreja Católica e é tido como o professor modelo para os que estudam para o sacerdócio por ter atingido a expressão máxima tanto da razão natural quanto da teologia especulativa. O estudo de suas obras há muito tempo tem sido o cerne do programa de estudos obrigatórios para os que buscam as ordens sagradas (como padres e diáconos) e também para os que se dedicam à formação religiosa em disciplinas como filosofia católica, teologia, história, liturgia e direito canônico.

Tomás foi também proclamado Doutor da Igreja por Pio V em 1568. Sobre ele, declarou Bento XV: ” Esta ordem [dominicana]… ganhou novo lustre quando a Igreja declarou os ensinamentos de Tomás como seus próprios e este Doutor, honrado por elogios especiais dos pontífices, o mestre e patrono das escolas católicas.”

Também pode gostar…

Back to Top