PESQUISAR

Van Thuan. Livre atrás das grades

REF.:0010030000750

1 em stock
Entrega no dia útil seguinte!

18,00 IVA inc.

Ficha Técnica

Título: Van Thuan. Livre atrás das grades
Autor: Teresa Gutiérrez de Cabiedes
Ano de edição ou reimpressão: 2020
Editora: Paulinas
Idioma: Português
Dimensões: 142 x 210 x 15 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 296
Peso: 340g
ISBN: 9789896737672

Sinopse

Esta obra é uma narrativa de uma história real dos nossos dias, da horrível experiência de cativeiro comunista de treze anos, com nove dos quais em prisão solitária, vivida por F. X. Nguyen Van Thuan (arcebispo vietnamita), que, inesperadamente e sem qualquer julgamento foi encarcerado e sujeito a sevícias e atrocidades de grande desumanidade. Impedido de constituir qualquer defesa, foi-lhe feito sentir que o seu futuro estaria dependente de aceitar o reconhecimento de factos de uma forjada acusação e a aceitação das consequências ou o desespero pela privação da liberdade para sempre.

A dificuldade em encontrar as palavras apropriadas que pudessem reproduzir esta horrível experiência, a autora decidiu apresentar esta história de martírio de uma forma ficcionada. Os factos verdadeiros evocados na narrativa correspondem a atos brutais do poder arbitrário, no entanto, suscitam em Van Thuan respostas que transcendem a lógica humana e que provoca um furacão de inesperadas reações, inclusive nos próprios algozes, para além de o terem transformado em símbolo de um povo inteiro, pela revelação do seu amor levado ao extremo e pela liberdade interior que ele misteriosamente soube preservar e alimentar.

É um livro dirigido a todos, jovens leitores e adultos. O ritmo frenético da ação combina-se com um diálogo profundo sobre a liberdade interior e sobre os caminhos que abrem o caminho para a Esperança

Sobre o autor

Quem sou eu? Uma mãe profissional em busca da conciliação profissional? Palestrante de diversos públicos? Uma poetiza com uma obra inédita e competições frustradas? Autora de livros com tiragem curta, mas leitura densa? A mistura imprecisa de uma Instagrammer e uma tweeter contemplativa?

Só sei que para viver, preciso contar histórias. Talvez seja por isso que gostei dos exames de literatura na escola, estudei jornalismo, fiz doutorado em comunicação e fiz mestrado em criação literária. Talvez seja por isso que me casei com Hervé, um grande artista: cantor-compositor, animador infantil, ilustrador, poeta em casa e cuidador amoroso de idosos.

Talvez por isso num inverno gerei um anjo e todos os dias peço a ele que me ajude a descobrir a vida com novos olhos. Talvez seja por isso que o meu filho Giuseppe nasceu com incontáveis pequenos tesouros debaixo do braço. Talvez por isso tenha sido a correspondente mais jovem que menos tempo passou em Roma, ou fiz a estreia do meu casamento num Santuário de 1200 metros de altura onde cuidávamos de peregrinos… para, logo a seguir, sobreviver lutando contra as obras culturais junto a Las Ventas, no meio da selva madrilena. Talvez seja por isso que, para mim, escrever livros, falar no rádio ou na TV, tricotar artigos, trabalhar com um sábio, captar imagens (com ou sem fofoca tecno) ou misturar ingredientes na cozinha com olhos estreitos … fazem parte de uma única paixão: ser feliz criando e espalhando.

A escrita não é vivida, mas … a escrita é vivida duas vezes. E eu tenho sorte. Porque duas fontes inesgotáveis alimentam a minha vida: a minha família (uma grande tribo e uma trindade com quem moro em uma casa portátil); e o Amor gratuito de um Deus que é ternura e alegria e que também me ama desesperadamente.

Portanto, embora às vezes eu me arrependa (overdose), o meu comércio é malabarismo. Eu trabalho como mãe e como comunicadora freelancer enquanto escrevo poesia, romances, ensaios e espiritualidade. Alguns dos meus trabalhos já foram publicados (Segredos de um arcebispo; Palavra de Hannah Arendt: ser ou não ser jornalista na era do ponto zero). O meu último livro, uma história verdadeira ficcional (Van Thuan- livre atrás das grades), sela o meu compromisso de não parar na palavra “crise” e de procurar vidas reais que incorporem caminhos para a felicidade.
Ah sim! Um fato chave: eu nasci em Pamplona às duas da manhã de 30 de agosto, durante o ano de 1977 DC.

Também pode gostar…

Back to Top