PESQUISAR

Maddie: Basta de mentiras!

REF.:0010010001143

2 em stock
Entrega no dia útil seguinte!

17,70 IVA inc.

Quantidade

Ficha Técnica

Título: Maddie: Basta de mentiras!
Autor: Gonçalo Amaral
Ano de edição ou reimpressão: 2021
Editora: Contraponto
Idioma: Português
Dimensões: 150 x 235 x 20 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 296
Peso: 400g
ISBN: 9789896663247

Sinopse

No chamado «Caso Maddie», a única certeza é a de que, na noite do dia 3 de maio de 2007, depois das 22h00, na Praia da Luz, no Algarve, foi dado um alerta de desaparecimento de uma criança britânica, com a idade aproximada de 4 anos.

Rapto planeado? Rapto motivado por gratificação sexual? Desaparecimento voluntário? Responsabilidades dos pais ou de outros com o dever de guarda da criança? Morte acidental (com ou sem ingestão de medicamentos para dormir)? Morte nas horas ou nos dias anteriores ao alerta de desaparecimento? Não se sabe. Mas já há um suspeito. Construiu-se um suspeito sem sequer se ter provado a existência de um rapto e, principalmente, sem se conhecer a vítima.

Hoje, sabe-se muito de um suspeito, sejam verdades ou mentiras, mas pouco, ou quase nada, sobre a vítima. Não se sabe, por exemplo, se era alvo de abusos, como parece sugerir o episódio de Maiorca. Por outro lado, Maddie parecia denotar dificuldades de fala para uma criança de 4 anos. Mas falta o historial clínico da criança, que constitui um mistério. Nem os pais o deram, nem as autoridades britânicas permitiram que se lhe acedesse. O que sabe a polícia britânica? E os detetives contratados pelos pais? Até quando irá a justiça portuguesa manter a sua neutralidade num caso cuja jurisdição é sua?

Após milhões de euros e libras gastos, a família insiste na tese do rapto, procura-se um pedófilo, a polícia alemã investiga de forma incongruente e o caso continua no ponto em que se encontrava em 2007. Quem esconde a verdade? A criança misteriosamente desaparecida merece uma investigação objetiva e séria.

Sobre o autor

Gonçalo Amaral nasceu em 1959, em Torredeita, Viseu. Estudou Engenharia, mas acabou por se licenciar em Ciências Jurídicas e Criminais, na Faculdade de Direito de Lisboa. Ingressou na Administração Pública em 1973, com 14 anos, como paquete, nos Serviços Sociais das Forças Armadas. Em novembro de 1981, iniciou o curso de formação de agentes da Polícia Judiciária (PJ), e tornou-se agente no ano seguinte. Em 1997/1998, frequentou o curso de subinspetores da PJ, tendo sido o primeiro classificado entre 100 alunos. Em 2000/2001 cumpriu o curso de Coordenadores da PJ. Exerceu funções em Lisboa, no Algarve e nos Açores. Durante anos, perseguiu, com eficácia, todo o tipo de criminalidade violenta e organizada: furtos, roubos, homicídios, tráfico de estupefacientes. Teve uma carreira profissional impoluta, amplamente reconhecida por colegas e superiores hierárquicos, bem como por magistrados judiciais e do Ministério Público, por funcionários judiciais e advogados, com quem teve o prazer de lidar durante muitos anos. Tem como máxima «a justiça realiza-se em silêncio». Foi coordenador operacional das investigações do «Caso Maddie», entre 3 de maio e 2 de outubro de 2007, tendo nessa ocasião sido afastado da investigação, num ato inédito na história da Polícia Judiciária. Aposentou-se a 1 julho de 2008, ao fim de 27 anos de carreira policial, a fim de readquirir a plenitude da sua liberdade de expressão sobre o caso que investigou e de contribuir, na medida do possível, para a descoberta da verdade material e para a realização da justiça. Publicou os livros Maddie – A Verdade da Mentira (2008), A Mordaça Inglesa (2010) e Vidas sem Defesa (2011).

Back to Top