PESQUISAR

Esgotado

Um diário de leituras

REF.:0010010001183

Out of stock
Entrega no dia útil seguinte!

19,90 IVA inc.

Ficha Técnica

Título: Um diário de leituras. Treze livros para treze meses
Autor: Alberto Manguel
Ano de edição ou reimpressão: 2022
Editora: Tinta da China
Idioma: Português
Dimensões: 150 x 220 x 18 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 228
Peso: 400g
ISBN: 9789896716738

Sinopse

Que pode haver em Goethe que remeta para a vida na Argentina durante a ditadura militar? Que ligação há entre O Vento nos Salgueiros e a nostalgia de um expatriado que sofre à distância com o desaparecimento de uma amiga? Será possível ler a invasão do Iraque em Dom Quixote? E que recordações paternas despertam num filho que lê Margaret Atwood 20 anos depois de perder o pai? Quando se abre um livro, não se encontra só a história que está nas páginas. Associações, memórias, amigos, outras leituras, barulhos que chegam da rua, o lar, as notícias da aldeia e do mundo e até a identidade de quem lê, tudo se mistura no acto da leitura.

Ao longo de um ano, Alberto Manguel regressa a 12 dos seus livros preferidos (mais um, Viagens na Minha Terra, acrescentado exclusivamente para a edição portuguesa) e anota num registo diferente do habitual, mais íntimo, diarístico, mês a mês, essa ligação directa entre a literatura e a vida – uma ligação que qualquer grande leitor sabe que é impossível desfazer.

Sobre o autor

Alberto Manguel (1948, Buenos Aires) cresceu em Telavive e na Argentina. Aos 16 anos, trabalhava na livraria Pygmalion, em Buenos Aires, quando Jorge Luis Borges lhe pediu que lesse para ele em sua casa. Foi leitor de Borges entre 1964 e 1968. Em 1968, mudou ­se para a Europa. Viveu em Espanha, França, Itália e Inglaterra, ganhando a vida como leitor e tradutor para várias editoras. Editou cerca de uma dezena de antologias de contos sobre temas tão díspares como o fantástico ou a literatura erótica.

É ensaísta, romancista premiado e autor de vários best-sellers internacionais, como Dicionário de Lugares Imaginários, Uma História da Curiosidade, A Biblioteca à Noite, Embalando a Minha Biblioteca e Com Borges (Tinta­da­china, 2013, 2015, 2016, 2018 e 2020, respetivamente). Foi diretor da Biblioteca Nacional da Argentina entre 2016 e 2018. Foi galardoado com o Prémio Formentor das Letras em 2017. Atualmente, vive em Lisboa, onde vai fundar a Biblioteca e um Centro de Estudos da História da Leitura.

Back to Top